Esportes de Aventura Publicado por Carlos Sposito CREF nº 3494-P/RJ

Conteúdo Saúde: Qual é a diferença em treinar na academia e na rua?



Carlos: Os esportes de aventura necessitam de treinamentos tanto em academia quanto na rua, além de outros ambientes inóspitos, se possível. A parte do treinamento que é realizada dentro de uma academia objetiva aprimorar algumas valências físicas que necessitam de maior precisão nos movimentos, como flexibilidade, equilíbrio e força dinâmica. Já a parte que é praticada fora da academia visa outras valências físicas, como força de resistência e capacidades aeróbica e anaeróbica, além de colocar o praticante em contato mais real com os fatores ambientais que ele encontrará em uma atividade de esporte de aventura, como vento, chuva, sol, mosquitos, bichos peçonhentos, raízes de árvore e buracos espalhados pelo caminho. Aliás, um ponto que nunca pode ser esquecido no treinamento de esportes de aventura é que o praticante é um ser outdoor por definição. Assim, quanto menos ele estiver cercado por quatro paredes melhor ele se sentirá, havendo como isso uma melhor resposta ao treinamento.


Conteúdo Saúde: Podemos considerar seguro os equipamentos usados para prática de escalada?


Carlos: Sim! Há muitos anos os equipamentos utilizados em escalada, seja em rocha, indoor ou alta montanha, são certificados pela UIAA, entidade internacional que, entre outros atributos, inclui o controle de qualidade desses equipamentos. Além disso, os fatores de segurança utilizados pelos engenheiros que desenham esses materiais dão uma reserva de segurança muito alta, bem acima dos esforços possíveis em qualquer situação. Não existem registros de acidentes em escalada, onde a culpa foi do material. A culpa sempre é externa a ele, seja um grampo mal colocado na rocha, seja um iniciante que utilizou erroneamente o equipamento.


Conteúdo Saúde: Qualquer pessoa consegue fazer uma escalada?


Carlos: Sim. Da mesma maneira que todos podem correr, iniciando com 200 metros por dia e uma caminhada, chegando até a maratona (42 km), todos podem se aventurar na escalada começando por vias bastante fáceis, aumentando a dificuldade conforme for se desenvolvendo no esporte. O importante é aprender com um instrutor registrado, com experiência e que tenha condições de passar ao aluno as peculiaridades do esporte.


Conteúdo Saúde: Quais são as dicas para quem quer começar a praticar atividade física mais não gosta de academia?


Carlos: Atualmente as ofertas de atividades físicas prazerosas que podem ser praticadas longe das academias é bastante grande. Uma praça, uma praia, uma área menos movimentada da cidade, são ótimos locais para corridas e caminhadas. Trilhas dentro de florestas e áreas rurais são uma pedida excepcional para pequenas e grandes caminhadas, dependendo do tempo disponível e da disposição de cada um. Locais aquáticos, como lagos e praias, clamam por nadadores de águas abertas e praticantes de kitesurf. Várias cidades estão começando a ter grupos de treinamento de le parkour. Escaladas em rocha estão se disseminando por todas as cidades que possuem uma simples rocha “escalável”. Agora, o mais importante a ser considerado é o acompanhamento do principiante por um treinador ou personal trainer. Ele é que ensinará as técnicas da nova atividade, dando todas as informações a respeito de segurança e melhores práticas.


Conteúdo Saúde: Qual é o esporte mais completo?


Carlos: Não existe esporte mais completo. Existe o esporte que o indivíduo se adapta melhor. Alguns preferem atividades que exigem força, outros velocidade e ainda tem aqueles que gostam de flexibilidade. A chave é a experimentação de várias atividades, buscando a que o indivíduo se adapte melhor. Lembrando sempre que a presença de um instrutor ao se iniciar qualquer atividade física é fundamental.


Carlos Sposito CREF nº3494-P/RJ